Telefone: (11) 5524-1319 ou (11) 5548-9757

Investigação realizada na Universidade Internacional da Catalunha mostrou que os dentes do siso contêm células-tronco que podem regenerar diversos tecidos.

“Os dentes do juízo” são normalmente um problema para quem os tem. Muitos têm que retirá-los quando eles nascem e estes processos – tanto de nascimento quanto de retirada – são dolorosos. Entretanto, a Universidade Internacional da Catalunha descobriu uma utilidade para eles. Os dentes do siso contêm células-tronco, das quais diversos tecidos humanos podem se regenerar, como o ósseo, o hepático e o nervoso.

A equipe de cientistas conseguiu isolar subpopulações de células-tronco pluripotentes, similares às células adultas, capaz de regenerar tecidos. Os pesquisadores escolheram os dentes do siso para trabalhar porque são os últimos a nascerem e estão em fase de desenvolvimento mais atual.

Além disso, por serem células “recém nascidas”, contêm maior quantidade de polpa, da onde se extraem as células-tronco. Uma vantagem adicional é que, como ele deve ser muitas vezes extraído, o terceiro molar é um candidato ideal para a regeneração de tecidos. E como as células são do mesmo paciente que receberá o tratamento, o risco de rejeição é inexistente.

A próxima fase do estudo, que foi publicado na revista Journal of Cell Science, será a realização de ensaios clínicos para comprovar a capacidade das células-tronco isoladas de regenerar tecidos. Uma vez isso alcançado, portas se abrirão a múltiplas possibilidades terapêuticas do dente do siso.

Fonte: Universia Brasil